CNPQ

                               

TRATAMENTO DE ÚLCERAS VENOSAS COM O SELANTE DE FIBRINA DERIVADO DE VENENO DE SERPENTE

Período de execução: 2011 a 2013Descrição: O Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos da UNESP – CEVAP, pesquisa e desenvolve um novo selante constituído de fibrinogênio extraído de grandes animais e de uma enzima obtida a partir de veneno de serpente desde 1989. A não utilização de sangue humano na sua composição evita a transmissão das doenças infecciosas além de que, por ser um produto genuinamente brasileiro, o seu baixo custo permitirá o uso na rotina dos nossos hospitais além de sua acessibilidade pela população menos favorecida. Foram realizados até o presente momento diversos experimentos tanto em animais, quanto em seres humanos. Em 2009 os pesquisadores trataram 25 pacientes com úlceras crônicas e concluíram: o selante é adequado para tratamento de úlceras de perna, é mais econômico que o disponibilizado no mercado, e apresenta ainda as seguintes vantagens: facilidade de aplicação, tendência para o preparo do leito e diminuição da dor. Por fim, sugerem que o emprego semanal, durante pelo menos oito semanas, poderá melhorar o processo da cicatrização e aumentar os índices de cura. Assim, o objetivo do presente trabalho será o de promover um ensaio clínico fase II, multicêntrico, controlado, randomizado e aberto, comparando-se 130 pacientes tratados semanalmente apenas com ácido graxo essencial + bota de Unna com 130 pacientes tratados com selante + ácido graxo essencial + bota de Unna durante 90 dias. O desfecho primário será a cicatrização e os secundários serão a diminuição da área de lesão, da exsudação e melhoria do tecido de granulação do leito da ferida. Este é um projeto de pesquisa clinica e tecnológico multi-institucional, onde oito centros brasileiros de pesquisa clínica são participantes.

Suporte Financeiro: CNPq – Processo No. 563582/2010-3 – R$ 6.452.913,38 (incluindo contrapartida de R$ 2.031.875,00 da UNESP).
Coordenador: Prof. Dr. Benedito Barraviera

BIOPROSPECÇÃO DOS VENENOS ANIMAIS DISPONÍVEIS NA TOXINOLOGIA BRASILEIRA COM VISTAS À SUA APLICAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA E NAS DOENÇAS NEGLIGENCIADAS (RAIVA, DOENÇA DE CHAGAS E LEISHMANIOSES)
Período de execução: 2011 a 2015

Descrição: A Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) Instituição líder deste projeto – por intermédio da Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB) e do Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos (CEVAP) mantém o Programa de Pós-graduação em Doenças Tropicais (CAPES – conceito 5) desde 1992. Essas instituições desenvolvem pesquisas na área de Toxinologia, com linhas definidas e específicas, pesquisadores/professores contratados para tal fim e com alunos de iniciação científica, mestrado, doutorado e Pós-doutorado. Entre as pesquisas desenvolvidas, destacam-se a bioprospecção de novas aplicações para o selante de fibrina derivado de veneno de serpente e a de moléculas com potencial terapêutico para as doenças negligenciadas (raiva, doença de Chagas e leishmanioses). Além disso, estudam os mecanismos imunológicos envolvidos e prospecta moléculas como ferramentas/kits diagnósticos. Todo esse processo é realizado a partir dos venenos extraídos de serpentes, animais marinhos e artrópodes peçonhentos. O Programa de Pós-graduação em Doenças Tropicais iniciou em 2006 parcerias e troca de experiências com diversos Centros de pesquisa nacionais e internacionais, com ênfase neste projeto para a Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (USP), Instituto Butantan (IBu) e Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN/CNEN) que abrigam respectivamente os Programas de Pósgraduação em Toxicologia, (CAPES – conceito 5), Toxinologia (CAPES – conceito 5) e Tecnologia Nuclear (CAPES – conceito 6). Isto permitiu o intercâmbio de estudantes e de pesquisadores, a preparação e a troca de experiências e insumos entre os parceiros e a publicação de artigos em revistas internacionais arbitradas e de alto impacto.

Suporte Financeiro: CAPES – Processo no. 23038.000823/2011-74 – R$ 1.576.800,00
Coordenador: Prof. Dr. Benedito Barraviera

PROTEÔMICA COMO PLATAFORMA PARA O DESENVOLVIMENTO DE PROCESSOS BIOTECNOLÓGICOS
Período de execução: 2012 a 2013

Descrição: A presente proposta visa apoiar projetos inovadores na área de Proteômica que atuam no desenvolvimento de produtos e/ou processos biotecnológicos relevantes. Ela atuará em processos com potencial de aplicação nas áreas de saúde, por meio do desenvolvimento de estratégias e metodologias de caracterização de proteínas. O desafio atual da Biologia moderna está em desvendar e conhecer o complexo sistema de organização e sinalização biológica em todos os seus detalhes em nível molecular. As áreas de estudos pós-genômicos englobam conhecimentos e técnicas capazes de não só identificar o conjunto complexo de proteínas produzidas por uma célula, mas também de revelar as interações e interdependências dos processos biológicos. Dessa forma, estudos proteômicos de venenos animais e seus alvos moleculares oriundos de venenos de vespas serão objetos de estudo da presente proposta de pesquisa, a fim de promover o desenvolvimento de novos fármacos oriundos de produtos naturais bioativos com potencialidade em aplicações medicinais ou o desenvolvimento de processos biotecnológicos.

Suporte Financeiro: CNPq – Processo no. 477942/2011-3 – Edital 14/2011 Apoio a Projetos de Pesquisa / Universal – Faixa A – R$ 19.998,00.
Coordenadora: Profa. Dra. Lucilene Delazari dos Santos

EMU AQUISIÇÃO DE CROMATÓGRAFO LÍQUIDO DE ALTA EFICIÊNCIA (CLAE) PREPARATIVO PARA PURIFICAÇÃO E ISOLAMENTO DE SERINOPROTEASES PARA PRODUÇÃO DO SELANTE DE FIBRINA
Período de execução: 2010 a 2012

Descrição: O objetivo do presente projeto foi o de adquirir um cromatógrafo líquido de alta eficiência (CLAE) para atender à demanda por proteínas purificadas do veneno de serpentes aplicadas ao PROJETO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DO SELANTE DE FIBRINA DERIVADO DE VENENO DE SERPENTE, bem como sua aplicação clínico-cirúrgica em medicina humana e veterinária, que vem se desenvolvendo há pelo menos 15 anos pelos pesquisadores do Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos da UNESP – CEVAP. Além disso, outro objetivo foi o extrair componentes bioativos contra venenos de serpentes a partir de plantas medicinais e contribuir para a separação e purificação de metaloproteínas de origem animal. O selante de fibrina derivado de veneno de serpente, objeto principal deste projeto de pesquisa, é constituído de dois componentes principais, a saber: o primeiro é uma serinoproteinase extraída a partir de veneno de serpente, entre elas Bothrops neuwiedi pauloensis e/ou Crotalus durissus terrificus; o segundo componente é o crioprecipitado rico em fibrinogênio extraído do sangue de grandes animais principalmente bubalinos, bovinos e ovinos. Estes componentes são associados no momento de sua aplicação, em proporções previamente definidas, havendo a formação da rede de fibrina, que tem propriedades adesivas. O produto similar comercial é importado e tem larga aplicabilidade clínica e cirúrgica sendo amplamente empregado tanto em medicina humana quanto veterinária, como pode ser comprovado no artigo de revisão recentemente aceito para publicação que se encontra em anexo. Os três projetos associados que darão sustentabilidade a esta proposta são respectivamente: o primeiro é dedicado à pesquisa, padronização e caracterização estrutural e funcional das moléculas de serinoproteinases extraídas de veneno de serpentes; o segundo se preocupa com a certificação do crioprecipitado.

Suporte Financeiro: FAPESP – Processo No. 2009/53846-9 – Auxílio Pesquisa – Programa Equipamentos Multi-Usuários 3 – R$ 171.933,63.
Coordenador: Prof. Dr. Benedito Barraviera

IDENTIFICAÇÃO DOS ALVOS MOLECULARES DA CROTOXINA DO VENENO DE CROTALUS DURISSUS TERRIFICUSQUE ATUAM NAS VIAS DE SINALIZAÇÃO CELULAR DURANTE O ENVENENAMENTO
Período de execução: 2012-2013

Descrição: Atualmente, os soros antiofídicos são a única alternativa específica para o tratamento dos envenenamentos por picadas de serpentes peçonhentas. Porém, sabe-se que a eficiência dos processos de neutralização nos quadros de envenenamento por serpentes do gênero Crotalus ocorre através da administração de um número elevado de ampolas de soro anticrotálico, o que, conseqüentemente, reações adversas como anafilaxia podem ocorrer durante o tratamento dos indivíduos acidentados. Levando em consideração que o mecanismo de ação do veneno crotálico no desencadeamento da resposta imune não deve envolver somente a interação antígeno-anticorpo, este projeto tem por objetivo identificar os alvos moleculares da proteína crotoxina do veneno da serpente Crotalus durissus terrificus de linhagens celulares como mastócitos e macrófagos, a fim de melhor compreender as vias de ativação e/ou inibição de proteínas sinalizadoras durante um quadro de envenenamento por esta serpente. Dessa forma, a crotoxina será isolada do veneno da serpente Crotalus durissus terrificus através de estratégias de fracionamento por cromatografia líquida e em seguida, ela será acoplada a matriz cromatográfica Sepharose 4B como um ligante específico, para a realização de cromatografias de afinidade de extratos membranares de linhagens de células de defesa. Esta estratégia permitirá identificar os receptores-alvos desta toxina em diferentes sistemas biológicos, a fim de melhor compreender as vias de sinalização que são ativadas num quadro de envenenamento e, identificar princípios ativos mais eficientes nos processos de neutralização desse veneno e/ou também, na tentativa de complementar a soroterapia aplicada na área médica atualmente.

Suporte Financeiro: Pró-reitoria de Pesquisa da UNESP (PROPe) – Edital 10/2012 – Primeiros Projetos – R$ 7.700,00.
Coordenadora: Profa. Dra. Lucilene Delazari dos Santos

ADEQUAÇÃO DO BIOTÉRIO DE MANUTENÇÃO E EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL DO CEVAP
Período de execução: 2012

Descrição: Atualmente o CEVAP conta com um Biotério de manutenção e de Criação de roedores para a alimentação de 700 serpentes produtoras de venenos. Estes insumos são objetos de estudos de vários projetos de pesquisas realizadas no Brasil e no exterior, entre elas fundamental e clínica. Apesar das boas práticas realizadas até o presente momento faz-se necessário uma adequação deste biotério, a fim de receber equipamentos e suprimentos necessários para torná-lo além de um Biotério de Manutenção e Criação também de Experimentação Animal. Em caráter emergencial, a adequação do Biotério do CEVAP pela aquisição de exaustores, filtros de água, caixas de tampas plásticas e grades para manutenção de roedores e caixas de contenção e bebedouros para roedores e coelhos será a meta deste projeto.

Suporte Financeiro: Pró-reitoria de Pesquisa da UNESP (PROPe) – Edital 01/2012 – Programa de Apoio aos Biotérios da UNESP – R$ 5.800,00.
Coordenador: Prof. Dr. Rui Seabra Ferreira Junior

SELANTE DE FIBRINA DERIVADO DE VENENO DE SERPENTE COMO ARCABOUÇO BIOLÓGICO (SCAFFOLD) PARA CÉLULAS TRONCO MESENQUIMAIS VISANDO SUA APLICAÇÃO EM MEDICINA
Período de execução: 2012

Descrição: Este projeto de inovação tecnológica visa a aplicação do selante de fibrina derivado de veneno de serpente como arcabouço biológico (scaffold) para células tronco mesenquimais (CTMs) obtidas a partir da medula óssea de ratos. O referido selante é um biomaterial caracterizado como adesivo biológico, produzido e fornecido para pesquisas experimentais e ensaios clínicos pelo Centro de Estudos de Venenos e Animais Peçonhentos da UNESP – CEVAP. As células mononucleares serão coletadas e mantidas em meio DMEM a partir de fêmures e tíbias de ratos adultos. As células tronco mesenquimais (CTMs), objetivo principal deste estudo, serão caracterizadas por meio da técnica de citometria de fluxo devendo apresentar os marcadores positivos para CD44 e CD90 e negativo para CD34. A atual produção das CTMs ocorre em colaboração com o Laboratório de Reprodução Animal da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da UNESP, Campus de Botucatu. Para alcançar os objetivos propostos serão necessários num primeiro momento a avaliação in vitro do crescimento e da viabilidade celular junto ao biomaterial. Serão utilizadas microscopia óptica de luz invertida, microscopia de fluorescência e microscopia eletrônica de varredura para avaliação da viabilidade e do crescimento celular. Estas duas últimas técnicas serão realizadas em colaboração com o Departamento de Anatomia e Laboratório de Microscopia Eletrônica do Instituto de Biologia da UNICAMP. Será também verificada a capacidade de diferenciação das CTMs em associação com o selante de fibrina para tecido osteogênico, condrogênico e adipogênico. As diferentes microscopias serão necessárias para comprovar se o selante é capaz de realizar a captura das CTMs, mantê-las e proporcionar sua multiplicação sem destruí-las. Neste momento, já estão em andamento estudos para implantar o selante de fibrina como arcabouço biológico (scaffold) enriquecido com células CTMs em modelos experimentais, a fim de se investigar o tempo necessário de suporte mecânico para que as mesmas se mantenham no local alvo e atinjam a diferenciação esperada. O objetivo final será desenvolver processos regenerativos e terapias clínico-cirúrgicas mais eficientes.

Suporte Financeiro: Pró-reitoria de Pesquisa da UNESP (PROPe) – Edital 16/2012 – Programa de Apoio à Pesquisa em Unidades Complementares da UNESP – R$ 10.000,00 + 1 bolsa de treinamento técnico.
Coordenador: Prof. Dr. Benedito Barraviera