VAS encontra morcego positivo para a Raiva na região do Jardim Bom Pastor

A Vigilância Ambiental em Saúde (VAS) recebeu nesta segunda-feira, 15, a confirmação laboratorial de um morcego insetívoro positivo para a raiva. O animal estava caído em uma residência do Jardim Bom Pastor, região Central, e por isso a VAS foi acionada. Em 2018 foram diagnosticados nove morcegos positivos para a raiva, sendo oito insetívoros (que se alimentam de insetos) e um frugívoro (que se alimentam de frutos).

“A Raiva é uma doença que acomete todos os mamíferos inclusive o homem. Ela atinge o sistema nervoso central e tem quase 100% de letalidade. Há mais de trinta de anos não temos o vírus rábico circulando entre os cães e gatos de nosso Município, mas o vírus é presente no ciclo aéreo, ou seja, entre os morcegos, principalmente entre os hematófagos”, explica Valdinei Moraes Campanucci da Silva, Supervisor de Serviços de Saúde Ambiental e Animal.

 

Os morcegos não hematófagos são aqueles que se alimentam de insetos, frutos, néctar e pólen, entre outros, como os insetívoros e frugívoros, e são muito comuns nas áreas urbanas e rurais. Este tipo de morcego se abriga principalmente no forro das edificações e por isso é a espécie mais comum em ambiente urbano, pois encontra abrigo e alimento em abundância.

A Vigilância orienta que a população deve comunicar quando encontrar um morcego caído e/ou pousado em local não habitual, pois o animal pode estar doente. Não se deve tentar capturar os morcegos, pois para se defenderem eles podem morder e, assim, transmitir doenças para os homens e animais.

“Por isso é tão importante mantermos os animais (cães e gatos) vacinados contra a raiva, pois se eles tiverem um contato acidental com morcegos não hematófagos ou outros mamíferos infectados com o vírus rábico, estarão protegidos, evitando a infecção para o homem. Os animais de produção (bovinos, equinos, caprinos, ovinos e suínos) também devem ser vacinados anualmente contra a raiva, pois ao serem sangrados pelos morcegos hematófagos poderão contrair a doença”, salienta Valdinei.

Entre agosto e setembro, a VAS realizou a Campanha de Vacinação Anual Contra a Raiva de Cães e Gatos e imunizou mais 22.000 animais, sendo 18.233 cães e 3.794 gatos. Os tutores que não estão em dia com a vacinação antirrábica de seus animais poderão procurar o posto permanente da Unidade de Vigilância de Zoonoses (Canil Municipal – Avenida Itália, s/n), que atende de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 16h30.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *