Você sabe qual o perfil dos mestres e doutores do Brasil?

Quem são os mestres e doutores brasileiros? O CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – divulgou, recentemente, uma pesquisa que mostra o perfil dessas categorias, de acordo com o sexo e a idade.

Para facilitar o entendimento e a leitura dos gráficos, traduzimos as principais informações divulgadas por eles e descobrimos dados impressionantes!

Sexo

mestres e doutores por sexo

Até 2016, que foi a data da última pesquisa divulgada pelo CNPq, no Brasil, havia mais mulheres com mestrado do que homens. Eram 44.337 mestras. 

Um cenário bem diferente do da década de 1970, quando a maioria dos mestres eram homens.

Se analisarmos o cenário dos doutores brasileiros, os homens ainda são maioria, mas sabe por quê?

Fazer um doutorado requer mais tempo e, como já falamos, na década de 1970, muitos homens já eram mestres!

Logo, é bem provável que esse mesmo percentual tenha seguido carreira acadêmica e se tornado doutor.

Idade

mestres e doutores por faixa etária

Em relação à idade, a maior parte dos mestres tem de 30 a 34 anos, enquanto os doutores têm de 35 a 39 anos. Mas descobrimos algo bem interessante com essa pesquisa…

Mestres e doutores cada vez mais jovens!

O dado mais surpreendente é que dois jovens de 19 anos já tinham o título de doutorado no país!

Achou estranho? Nós fomos checar a informação… E, sim: eles existem! Em 2015, A Folha de S. Paulo publicou uma matéria  sobre ingresso cada vez mais precoce dos jovens no mundo acadêmico.

Daniel Rocha, que na época tinha 17 anos, foi um dos exemplos. Ele era doutorando no Instituto de Matemática Aplicada (Impa).

A instituição é conhecida por adotar uma estratégia um tanto peculiar: colocar jovens para fazerem cursos de pós graduação antes mesmo de concluírem ou ingressarem na graduação.

Foi o caso de Carlos Matheus Silva Santos, que, com apenas 19 anos, concluiu, em 2004,  o doutorado,  tornando-se, assim, o doutor mais jovem formado pelo Impa.

Carlos Matheus

Foto: Reprodução/Impa

Esse é citado, inclusive, como um dos fatos mais curiosos sobre a instituição! (É o 4º fato, caso queira checar!)

Fomos atrás do currículo dele, que, de fato, impressiona! Carlos Matheus seguiu a ordem inversa do que consideramos o “comum”: primeiro, em 2000, obteve o título de mestre; depois, em 2004, seguiu para o doutorado e só completou a graduação em 2005!

Área de Atuação

Voltando à pesquisa do CNPq…

mestres e doutores por área de atuação

A área que mais forma mestres e doutores no Brasil é a de Ciências Humanas, seguida pela Ciências da Saúde.

Todo mundo pode e é capaz de fazer pesquisa científica!

Você sabia que a Royal Society, uma das mais respeitadas associações científicas do mundo, já publicou um artigo escrito por crianças?

Nós queremos incentivar a produção científica no país e mostrar que, independentemente da idade, todo mundo pode e é capaz de produzir conteúdos científicos!

 

 

Fonte

Confira a pesquisa completa aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *